....................... ....................... ....................... ....................... ....................... ....................... ....................... ....................... ....................... ....................... .......................
Compre online

Browse By

never-too-late

Never Too Late: expoente do pop punk brasileiro nasceu na comunidade do New Found Glory no Orkut

A Never Too Late é uma das bandas que vêm resgatando a chama do pop punk no Brasil e trazendo novas referências para dentro de uma sonoridade que em termos evolutivos hibernou durante a primeira metade da última década. Com o álbum No Return, lançado em 2016, o grupo vem percorrendo grande parte do Brasil com canções que transitam entre o saudosismo Blink 182/bermuda Dickyes/tênis Vans dos anos 90 e as novas pigmentações da atual cena norte-americana.

A NTL vem divulgando o seu trabalho desde 2013, ano em que o EP Passado, Presente, Futuro foi lançado e os primeiro shows pela capital paulista começaram a aparecer. Muito antes disso, a banda existia como ideia, vagando entre ensaios e tentativas frustradas de dar vida às suas primeiras composições.

“A banda começou após eu e o Rodrigo nos conhecermos pela comunidade do New Found Glory do Orkut, de início o projeto não saiu do papel, mas com o tempo conseguimos colocar tudo em prática! Não tinha como a principal referência da banda não ser o próprio New Found Glory, além de outras bandas que crescemos ouvindo, como Blink, Fall Out Boy entre outras do estilo”. Gustavo, Never Too Late

O pontapé inicial da coisa, após muitas tratativas, foi o já comentado EP de estreia, que antecedeu Sobre Tudo Que Passei, o segundo trabalho, onde a cara do grupo começou a aparecer de maneira mais autêntica. Neste registro, há destaque para a canção “Nostálgico”, primeiro single lançado pelo grupo a atingir um número mais elevado de ouvintes.

Em 2015, a banda teve mudanças em sua formação e passou a compor em inglês, se aproximando ainda mais das bandas que utilizava como referência. Na nova fase, o processo de composição, inclusive, passou a ser mais conjunto, envolvendo todos os integrantes, gerando sons que carregavam um pouco mais de cada membro. O novo processo e os novos integrantes deram origem juntos ao disco No Return, o primeiro da NTL. O registro gravado em São Paulo com participação de André Maini e Rodrigo Maciel (Strike) vem recebendo bons feedbacks naquele que é o melhor lugar para colher feedbacks: a rua.

“A tour do ‘No Return’ tem surpreendido bastante. Desde agosto do ano passado, temos conseguido ir pra lugares bem diferentes. No fim da tour, teremos passado pelas principais capitais do sul e do sudeste. O que mais surpreende é chegar em um lugar desconhecido pra nós mas ver as pessoas terem uma intimidade com você, cantarem na hora do show, dizerem qual o seu som favorito”. Gustavo, Never Too Late

Circular. Essa é a palavra do momento, porque até mesmo para quem tem base na movimentada cidade São Paulo, sede dos mais sólidos palcos do país, ser independente ainda é um desafio e tanto. E, para quem caminha pelo caminho do pop punk/hardcore, viver da música ainda é algo especialmente distante.

Enquanto no exterior gravadoras e selos como Hopeless Records, Run For Cover e Fearless reúnem audiência quase massiva e dão suporte a festivais próprios cheios de sold outs, no Brasil há um público crescente mas ainda não tão bem organizado, além de o próprio gênero pop punk sofrer associações nocivas com o movimento emo brasileiro do início dos anos 2000, para quem o visual importava muito mais do que qualquer nuance musical. “Falta de informação, falta de investimento, produtor que pensa no final do show antes de organizá-lo, bandas que se lançam de qualquer jeito e sempre acham que são melhores do que as outras… a dificuldade de ser independente é a mesma de outras épocas”, comentou o baixista Rodrigo“O jeito é usar de criatividade para driblar isso tudo”.

Nos dias 18 e 19 de março, a Never Too Late desembarca no sul do país para dois shows. Sábado, dia 18, em Canoas no estúdio Black Bird com as bandas Audere e Inimigo Eu. Domingo, dia 19, na Casa Frasca, com Audere e DJ set da festa pop punk Feeling This, figurinha carimbada da cena local e responsável por manter os amantes do gênero reunidos durante os longos hiatos de shows do estilo na região. Ouça a playlist exclusiva do New Yeah com os principais sons da carreira da NTL. Curta também a página no Facebook para acompanhar os próximos passos dos caras.